Aos 99 anos, o “banqueiro invisível” ainda dá as cartas

(Infomoney) – Até pouco tempo antes de a pandemia colocar o Brasil em quarentena, o banqueiro Aloysio de Andrade Faria (ex-Banco Real) dava expediente na sede do banco Alfa, na região da Avenida Paulista em SP, pelo menos uma vez por semana. Agora, de sua fazenda de Jaguariúna, interior de SP, o mineiro de BH continua decidindo com mãos de ferro os rumos do seu império.

Aos 99 anos, Faria é o banqueiro mais velho da lista da revista Forbes e o terceiro mais idoso entre todos os bilionários, com uma fortuna estimada em U$ 1,7 bilhão (cerca de R$ 9 bilhões). Prestes a completar um século de vida em novembro, o magnata, que estudou medicina e herdou aos 28 anos o banco (da Lavoura de MG) que viria depois a se transformar no Real, quando seu pai morreu, prefere a discrição dos bastidores às luzes dos holofotes

“Aloysio é um dos mais sofisticados operadores financeiros do Brasil. É um banqueiro invisível que sempre fez questão de ficar longe de Brasília e das rodas de governo”, define o ex-ministro Delfim Neto, de 92 anos. “Ninguém o vê fumando charuto cubano, bebendo Romaneé Conti. Está sempre submerso”.

Deixe uma resposta

Fale com a gente!