Aplicativo do GDF conecta vítimas de violência a canais de proteção

Objetivo é acelerar atendimento de quem vive em situação de risco;

Assinatura de acordo está marcado para segunda-feira (24/5)

(Metrópoles) – Um aplicativo criado pelo Governo do Distrito Federal (GDF) vai passar a conectar vítimas de violência e de violação de direitos humanos com os principais canais de denúncias do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. A parceria com a plataforma Proteja-se foi divulgada nesta sexta-feira (21/05) pela pasta comandada pela ministra Damares Alves.
De acordo com a ministra Damares, o projeto-piloto reforça a importância das parcerias com entes federados para levar, ao maior número de pessoas, o conhecimento dos canais oficiais de denúncias para esse tipo de crime.

“É importante sempre enfatizar que direitos humanos são para todos. Não importa credo, cor ou classe social. O que importa é que parcerias como esta possam ser replicadas em todos os municípios do país e que, cada vez mais, as pessoas tenham conhecimento e confiança em denunciar. Chega de impunidade aos que violam os direitos humanos”, disse.

Atualmente, as vítimas de violência contam com o Disque 100, Ligue 180, Telegram, Whatsapp e, agora, com o aplicativo Proteja-se, do GDF. As denúncias serão encaminhadas diretamente, via sistema informático, aos órgãos de enfrentamento às violações, como a Polícia Civil do DF.

“Somos parte desta rede de enfrentamento a qualquer violação de Direitos Humanos. E temos co-responsabilidade para o sucesso dessa iniciativa do governo federal com o GDF. O aplicativo trará, de modo ágil, uma nova ferramenta para denunciar e mapear casos de violência, que devem ser combatidos de maneira eficaz. Unindo esforços poderemos garantir que as políticas públicas possam chegar a todos que precisam”, sublinou a Secretária de Estado de Justiça e Cidadania do Distrito Federal, Marcela Passamini.

Facilidade

Para usar a ferramenta, o denunciante precisa apenas mandar uma mensagem pela plataforma e, após essa etapa, será atendida por meio de um chat ou mesmo pela Língua Brasileira de Sinais (Libras). É possível anexar fotos e vídeos à solicitação.

Para a secretária de Mulher do governo local, Ericka Filippelli, a parceria cria uma ferramenta de monitoramento do atendimento prestado às mulheres que denunciam uma situação de violência ou buscam apoio psicossocial.

“É um novo aplicativo que já nasce integrado. Nós vamos atender mulheres, além dos demais grupos vulneráveis, com mais efetividade. É a primeira vez que uma unidade da federação criar esse canal de atendimento integrado e personalizado, vinculado ao Sistema Integrado Nacional de Direitos Humanos”, afirma.

“A SSP-DF acredita no fomento da cultura da denúncia como arma efetiva de prevenção para que crimes mais graves não ocorram, como o feminicídio que, só em 2020, teve queda de quase 50% no DF. Agora, com o aplicativo, certamente o processo será muito mais intuitivo e seguro para quem faz a denúncia e, certamente, será uma das políticas que podem nos ajudar a manter e até mesmo reduzir esse índice em 2021”, reforçou.

Deixe uma resposta

Fale com a gente!