Com reajuste de 6,3%, gasolina a R$ 6 veio para ficar

Reajuste de 6,3% autorizado pela Petrobras reproduz alta no mercado do petróleo e variação do dólar. Em 12 meses, aumento na cotação internacional chega a 69%. Tendência deve se manter

 (crédito: MiNERVINO )

(Correio) – O primeiro reajuste de combustíveis autorizado pela gestão de Joaquim Silva e Luna no comando da Petrobras aumentou o mau humor do brasileiro com o custo de vida. Desde ontem a gasolina, o diesel e o GLP (Gás Liquefeito Petróleo) estão mais caros nas distribuidores, com percentuais que variam entre 3,7% e 6,3%. Enquanto especialistas afirmam que a escalada de reajustes é uma tendência em razão do mercado global de petróleo, os consumidores amargam a carestia.

R$ 6,00.

Victor Procopio da Silva, 20 anos, operador de cobranças, faz parte daqueles que sentem o “impacto na ponta” mencionado pelo economista Hugo Passos. “Vivemos com orçamento limitado para as contas e, mais uma vez, somos pegos de surpresa. Com esse reajuste, torna-se quase impossível conseguir sustentar um veículo hoje no Brasil para quem vive de salário mínimo”, afirma. “Além do combustível a inflação está alta, um salário mínimo já não é o suficiente para quem tem uma família para sustentar”, acrescenta.

 

Deixe uma resposta

Fale com a gente!