GDF projeta setores a serem mais afetados pela crise

Um relatório consolidado produzido pela equipe econômica do GDF, e obtido com exclusividade pelo Metrópoles, revela um cenário crítico para os setores varejista e de serviços até o mês de dezembro, após o término das medidas restritivas impostas pela pandemia do novo coronavírus.

Um dos setores mais afetados pelo isolamento social é o de bares e restaurantes. Os técnicos do governo projetam duas situações para o movimento econômico previsto até dezembro, com base na emissão de notas fiscais do último ano. O cenário otimista prevê queda de até 30% no faturamento, enquanto no pessimista a retração pode chegar a 70%.

Na área de vestuário e calçados, as perdas vão de 10% a 30% no pior e melhor cenários, respectivamente. Já o setor de combustíveis são previstas quedas na ordem de 10% a 25%. A venda de veículos novos e usados também aponta diminuição em relação ao ano anterior, de 9% a 19%.

A hotelaria é um dos ramos mais afetados. O prejuízo estimado é de 20% a 41%, comparativamente ao movimento de 2019. O turismo, área correlata, as projeções indicam diminuição de 38% no pior cenário. Outro segmento enormemente afetado é o de eventos, que deve amargar um decréscimo de 35% na hipótese mais pessimista.

Deixe uma resposta

Fale com a gente!