Justiça derruba liminar que impedia GDF de liberar atividades econômicas

O desembargador federal Ítalo Fioravanti Sabo Mendes suspendeu a decisão liminar que impedia o GDF promover a reabertura das atividades não essenciais diante da pandemia do novo coronavírus. Isso quer dizer que o poder de decisão volta às mãos do Executivo local.

Com isso, pode-se voltar a ter expectativa de ver cumpridas promessas de reinício das atividades que ainda estão proibidas de funcionar, a partir de 1. de julho – conforme tratativas setorias entabuladas anteriormente com autoridades governamentais.

Os principais setores considerados não essenciais que ainda não tem autorização reabrir são, basicamente: bares e restaurantes, academias, salões de beleza e afins.

Deixe uma resposta

Fale com a gente!