Mercado Livre incentiva profissionalização no e-commerce

(PoderMercado) – Na condição de maior plataforma de e-commerce da América Latina, o Mercado Livre vem assumindo seu papel de contribuir com a democratização do comércio por meio de iniciativas de incentivo à profissionalização de vendedores. A empresa atua nessa missão desde sua fundação, há 21 anos.

Um dos resultados mais evidentes é que, desde março de 2020 até o momento, mais de 85 mil vendedores que atuam no marketplace foram formalizados. Com o auxílio do Mercado Livre, os vendedores da plataforma tiveram, em média, o tempo de abertura de empresas reduzido pela metade, de 60 para 30 dias.

“O Mercado Livre é uma plataforma muito acessível, com a missão de democratizar o acesso ao comércio no Brasil. Assim, uma pessoa que, por exemplo, perdeu o emprego e resolve comercializar algum produto, tem a possibilidade de começar e crescer por meio da nossa plataforma”, explica Fernando Yunes, vice-presidente sênior de Commerce do Mercado Livre.

A formalização do comércio é uma das principais formas pelas quais o Mercado Livre contribui –por meio de suas ferramentas de logística, pagamentos e serviços financeiros– para a retomada da economia e para o desenvolvimento socioeconômico.

Com mais empresas formalizadas, o crescimento da economia se dá em bases mais consolidadas e as pessoas têm mais segurança e estabilidade de renda.

Essa ação ganhou ainda mais relevância no contexto da pandemia, quando muitas pessoas recorreram ao comércio, inicialmente de modo informal, para complementar ou garantir renda. Milhares desses vendedores e vendedoras tiveram a oportunidade de formalizar seus negócios e criar empresas que vão durar muito tempo depois da pandemia.

Saiba mais sobre a atuação do Mercado Livre lendo o infográfico:

Depois de formalizado, o vendedor passa a ter acesso a ainda mais ferramentas para desenvolver sua empresa dentro da plataforma do Mercado Livre.

A partir do momento em que o indivíduo se formaliza, tem acesso à logística do Mercado Livre, passa a contar com prazos de entrega muito mais curtos, pode investir em publicidade no Mercado Ads, pode montar uma loja virtual com o Mercado Shops e pode ter acesso a crédito pelo Mercado Crédito. Muitas vezes, para empresas pequenas que não conseguiram crédito em instituições financeiras tradicionais, o Mercado Livre acaba sendo um canal novo de crédito”, explica Yunes.

Esse incentivo à profissionalização vem acompanhando de outras ações que contribuem para desenvolvimento do e-commerce no Brasil. Só nos últimos quatro anos, o Mercado Livre investiu mais de R$ 10 bilhões no Brasil com o objetivo de expandir e melhorar seus serviços de logística –incluindo o início da operação de uma frota aérea própria para acelerar as entregas. Este ano, a empresa investirá outros R$ 10 milhões na operação brasileira, mantendo o foco em ampliar entregas rápidas e a baixo custo em todo Brasil, assim como avançar em inclusão financeira com o Mercado Pago.

A empresa conta hoje com mais de 6 mil funcionários registrados no Brasil e projeta a contratação de mais 7,2 mil até o fim de 2021.

Além disso, investiu e reforçou suas ações antipirataria, com a exclusão de mais de 20 milhões de anúncios irregulares de sua plataforma em 2020 (leia o relatório) e contribuiu com mais de R$ 1,2 bilhão em impostos no mesmo ano.

Deixe uma resposta

Fale com a gente!