102 mil pessoas de outras partes do país foram vacinadas no DF

Acesso a imunizantes ocorre por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e, por isso, é universal. Cerca de 102,7 mil pessoas iniciaram esquema vacinal no DF, e 45 mil receberam o reforço na capital do país

 (crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)
(Correio) – O Distrito Federal aplicou, até segunda-feira (21/6), 1.233.691 doses de vacinas contra a covid-19. Desse total, 147.995 foram administradas em moradores de outras unidades da Federação. A Secretaria de Saúde (SES-DF) lembra que o acesso aos imunizantes ocorre por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e, por isso, é universal. No caso da primeira dose, não há cobrança de comprovante de residência. No entanto, para o reforço, é necessário ter começado o esquema vacinal na capital do país.

A segunda dose soma 331.252 aplicações durante a campanha, que começou em 19 de janeiro. Houve 20.962 goianos imunizados com o reforço; 5.474 pessoas de Minas Gerais; 2.750 de São Paulo; 2.696 do Rio de Janeiro; 2.186 da Bahia; e 1.442 do Piauí.

Embora não haja restrição na aplicação da primeira dose para quem não more na capital federal, o reforço só será concedido a quem tiver cartão de vacinação da SES-DF. A medida, segundo a pasta, visa garantir que quem deu início ao esquema vacinal não fique sem completá-lo.

A exceção é para moradores do Distrito Federal que receberam a primeira dose em outra parte do país, mas desejam tomar o reforço perto de casa. Nesse caso, porém, é necessário apresentar justificativa junto à Ouvidoria do Executivo local (telefone 162).

Os dados constam do balanço da Secretaria de Saúde, divulgado semanalmente com informações do e-SUS Notifica, do Ministério da Saúde. O levantamento revela que 96% dos trabalhadores do setor, das redes pública e privada, tomaram ao menos a primeira dose, e 71,2% concluíram.

Do total de doses que chegam ao DF, 10% ficam reservadas para a reserva técnica, para suprir eventuais perdas. Até segunda-feira (21/6), houve problemas com 7.066 aplicações, sendo 6.509 delas por apresentarem volume insuficiente no frasco.

Em 5 de março, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou que o Instituto Butantan reduzisse o envase das vacinas CoronaVac, passando de 6,2 ml para 5,7 ml. Depois disso, segundo a SES-DF, houve “aumento significativo de queixas técnicas” relacionadas a frascos com volume inferior ao descrito em bula.

Cobertura vacinal

A cobertura vacinal no DF atingiu 39,07% para a primeira dose e 14,34% para o reforço, considerada só a população elegível para vacinação — pessoas a partir de 18 anos. Nos grupos com mais de 70 anos, a cobertura de dose 1 ultrapassou a expectativa de alcance e passou de 100%. Em relação à segunda, idosos com 75 anos atendidos também passaram de 100%, em relação ao esperado pela SES-DF. O grupo de 70 a 74 anos está perto desse percentual, segundo a pasta.

Deixe uma resposta

Fale com a gente!