Um pouco de poesia

Por Antônio Carlos de Almeida Castro (Kakay), do Poder360

 

Ser poeta não é uma

minha ambição, é a

minha maneira de estar

sozinho.

  • Fernando Pessoa

 

A poesia é um dique

para não

transbordarmos,

uma pá para

recolhermos os

escombros,

um sonho para as noites

em desvario,

um disfarce para sermos

o fingidor,

um mote para distrair-

nos do eterno,

ou simplesmente a

companheira de todas

as horas.

  • Kakay

 

Há sem dúvida quem

deseje o impossível,

Há sem dúvida quem

não queira nada –

Três tipos de idealistas, e

eu nenhum deles:

Porque eu amo

infinitamente o finito,

Porque eu desejo

impossivelmente o

possível,

Porque eu quero tudo, ou

um pouco mais, se puder

ser, ou até se não puder

ser…

  • Fernando Pessoa

 

Existe nua

Aristofânica

Lisistrata divina

Beijo teu lábio menor

Beijo teu delta

Depilado a lamparina

  • Leão de Formosa

 

O homem lúcido me

espanta

mas gosto dele na lírica.

A verdade metafísica

modela o verbo e a

garganta.

O homem lúcido verifica

que a existência não se

estanca

põe a baba ao pé da

planta

eis que a planta

frutifica.

O homem lúcido como

quer,

seja lá onde estiver

ele está, sem aquarela.

Sabe que a vida é viscosa

sabe que entre a náusea

e a rosa

foi que a ostra faz a

pérola.

  • Leão de Formosa

 

A natureza é a

diferença entre a alma e

Deus.

Tudo quanto o homem

expõe ou exprime é uma

nota à margem de um

texto apagado de todo.

Mais ou menos, pelo

sentido da nota, tiramos

o sentido que havia de

ser o do texto; mas fica

sempre uma dúvida, e os

sentidos possíveis são

muitos.

  • Fernando Pessoa

 

Liberdade é pouco. O

que eu desejo ainda não

tem nome.

  • Clarice Lispector

Deixe uma resposta

Fale com a gente!