Correio Braziliense luta na Justiça para manter sede do jornal

(Poder360) – O Correio Braziliense conseguiu suspender na Justiça o leilão do complexo que funciona como sede do jornal, que estava marcado para a próxima 2ª feira (10.mai.2021). A decisão da 21ª Vara Cível de Brasília considerou os impactos da pandemia no atraso do pagamento de dívidas.

O lance mínimo do leilão era de R$ 154,7 milhões e seria realizado pela Pentágono Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários. A decisão do juíz Hilmar Castelo Branco Raposo suspendeu os efeitos da declaração de vencimento antecipado da dívida, e a alienação do bem em leilão.

No processo, o Correio Braziliense afirma que em razão dos impactos da pandemia, atrasou pagamentos de dívidas relativas à Escritura de Emissão de Debêntures assinada com a Pentágono. A empresa também afirmou que tentou sanar os problemas decorrentes da situação, mas que foi tomada de surpresa em virtude da consolidação da propriedade pela credora. Pediu a suspensão dos efeitos da declaração de vencimento antecipado da dívida e decorrências.

“Não bastasse o impacto enorme na atividade da centenária empresa e de seus colaboradores, a venda envolverá terceiro na discussão da legalidade dos atos que antecederam a consolidação da propriedade fiduciária, o que amplia o espectro subjetivo da insegurança provocada pela discussão. Ademais, levada a cabo a operação de venda, eventual reversão não asseguraria o resultado útil do processo ante a complexa desmobilização decorrente da eventual mudança de endereço do requerente”, diz a decisão.

Essa modalidade também é utilizada para a venda de imóveis derivados de contratos inadimplentes de alienação fiduciária em garantia, de contratos inadimplentes de incorporação imobiliária e de dívidas hipotecárias.

O Correio Braziliense passa por uma crise financeira. Os jornalistas entraram em greve no último mês, a 3ª em 5 meses, depois de não receberem 50% do salário de março e parte do 13º. Foi a 3ª paralisação da Redação desde 1º de dezembro de 2020.

À época, o jornal parou por conta do atraso referente à gratificação. Em 5 de fevereiro foi realizada outra greve, com trabalhadores dizendo que a empresa não havia pago o salário de uma parcela expressiva de seus funcionários.

O complexo sede do Correio Braziliense é formado por 9 terrenos e prédios comerciais localizados no Setor de Indústrias Gráficas Sul. A área total construída é de 16.603,09 m².

Deixe uma resposta

Fale com a gente!